Laos

país do Sudeste da Ásia

O Laos,[1][2][3][4] oficialmente República Democrática Popular do Laos (em laosiano: ສາທາລະນະລັດ ປະຊາທິປະໄຕ ປະຊາຊົນລາວ, translit.: Sathalanalat Paxathipatai Paxaxon Lao, pronunciado: [sǎː.tʰáː.laʔ.naʔ.lat páʔ.sáː.tʰiʔ.páʔ.tàj páʔ.sáː.són.láːw]), é um país do Sudeste Asiático, localizado na Indochina e limitado a norte pela China, a leste pelo Vietnã, a sul pelo Camboja, a sul e oeste pela Tailândia e a noroeste por Myanmar. Sua população foi estimada em 6,5 milhões de habitantes em 2012.


República Democrática Popular do Laos
ສາທາລະນະລັດ ປະຊາທິປະໄຕ ປະຊາຊົນລາວ
Sathalanalat Paxathipatai Paxaxon Lao
Bandeira do Laos
Brasão de armas do Laos
Brasão de armas do Laos
BandeiraBrasão de armas
Lema: ສັນຕິພາບ ເອກະລາດ ປະຊາທິປະໄຕ ເອກະພາບ ວັດທະນາຖາວອນ
"Paz, Independência, Democracia, Unidade e Prosperidade"
Hino nacional: Pheng Xat Lao
("Hino Popular do Laos")
Gentílico: laosiano(a);[1][2][3][4]
laociano(a);[1][2][3][4]

Localização Laos
Localização Laos

CapitalVientiane
17° 54' N 102° 36' E
Cidade mais populosaVientiane
Língua oficialLaosiano
GovernoRepública socialista unipartidária
• Presidente e Secretário-geral do Partido Popular RevolucionárioThongloun Sisoulith
• Primeiro-ministroSonexay Siphandone
• Vice-presidentesBounthong Chitmany
Pany Yathotou
• Presidente da Assembleia NacionalSaysomphone Phomvihane
Independênciada França 
• Data19 de julho de 1949 
Área 
  • Total236 800 km² (81.º)
 • Água (%)2,0
 FronteiraChina (N), Vietnã (L), Camboja (S), Tailândia e Myanmar (O)
População 
  • Estimativa para 20166 758 353[5] hab. (101.º)
 • Densidade26 hab./km² (155.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2018
 • TotalUS$ 53,752 bilhões[6] (177.º)
 • Per capitaUS$ 7,932[6] (136.º)
IDH (2021)0,607 (140.º) – médio[7]
Gini (2008)36,7[8] 
MoedaKip (LAK)
Fuso horário(UTC+7)
 • Verão (DST)não observado (UTC+7)
Cód. ISOLAO
Cód. Internet.la
Cód. telef.+856
Website governamentalhttp://www.laogov.gov.la

A história do Laos é traçada desde o reino de Lan Xang, que existiu do século XIV ao XVIII, quando era dividida em três reinos separados. Em 1893, formou-se um protetorado francês na região, constituído pelos reinos de Luang Phrabang, Vientiane (Vienciana, em português europeu) e Champasak, unindo-se para formar o que hoje é conhecido como Laos. Ele rapidamente ganhou a independência em 1945, após a ocupação japonesa, mas retornou ao domínio francês até que foi concedida sua autonomia em 1949. Laos se tornou independente de facto em 1953, com uma monarquia constitucional governada por Sisavang Vong. Logo após a independência, uma longa guerra civil no país culminou com o fim da monarquia, quando o movimento comunista Pathet Lao chegou ao poder em 1975.

O Laos é uma república socialista de partido único. A capital é Vientiane (Vienciana, em português europeu). Outras importantes cidades são Luang Prabang, Savannakhet e Pakxe, e o idioma oficial é o Laociano. O Laos é um país multiétnico, sendo que os Laocianos compõem cerca de sessenta por cento da população, principalmente nas planícies. Outros grupos étnicos, como os Hmong e outras tribos indígenas, representam quarenta por cento da população e vivem nas colinas e montanhas. A economia laociana é tida como em desenvolvimento, sendo que o país é um grande gerador de eletricidade a partir de seus rios, sendo seus vizinhos, Tailândia, Vietname e China os maiores consumidores da energia produzida no país. O país é membro da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), Cúpula do Leste Asiático (CLA) e Organização Internacional da Francofonia (OIF). Em 1997, o Laos solicitou a adesão à Organização Mundial do Comércio, e em 2 de fevereiro de 2013 foi concedido a adesão plena.

História

Ver artigo principal: História do Laos

Pré-história

Em 2009, um antigo crânio foi encontrado em uma caverna nas montanhas Annamite, no norte do Laos. O crânio é de pelo menos 46 mil anos de idade, tornando-se o mais antigo fóssil humano encontrado até hoje no sudeste da Ásia.[9] Durante o quarto milênio a.C., frascos de sepultamento e outros tipos de sepulcros sugerem uma sociedade complexa em que os objetos de bronze apareceram por volta de 1500 a.C., e ferramentas de ferro eram conhecidas a partir de 700 a.C. O período proto-histórico é caracterizado pelo contato com civilizações chinesas e indianas. A partir do quarto para o oitavo século, as comunidades ao longo do rio Mekong começaram a se formar em cidades, ou Muang, como eram chamados.[10]

Lan Xang

O Laos traça a sua história ao Reino de Lan Xang, fundado no século XIV, por Fa Ngum, que ocupou Vientiane com 10 000 soldados Khmers. Fa Ngum era descendente de uma longa linhagem de reis laocianos, que se inicia em Khoun Boulom. Ele fez do Budismo Teravada a religião de Estado. Dentro de 20 anos de sua formação, o reino expandiu a leste e ao longo das montanhas Annamite. Seus ministros, incapazes de tolerar sua crueldade, o forçaram ao exílio na província tailandesa de Nan em 1373,[11] onde morreu mais tarde. O filho mais velho de Fa Ngum, Oun Heuan, subiu ao trono com o nome de Samsenthai e reinou por 43 anos. Durante o seu reinado, Lan Xang tornou-se um importante centro de comércio. Após sua morte em 1421, Lan Xang desabou em facções nos próximos 100 anos.

Em 1520, Photisarath subiu ao trono e transferiu a capital de Luang Phrabang para Vientiane para evitar a invasão birmanesa. Setthathirat tornou-se rei em 1548, depois que seu pai foi morto, e ordenou a construção do que viria a se tornar o símbolo de Laos, Pha That Luang. Setthathirat desapareceu nas montanhas, no caminho de volta de uma expedição militar no Camboja e Lan Xang começou a declinar rapidamente. Quando Sourigna Vongsa ascendeu ao trono, em 1637, Lan Xang expandiu ainda mais suas fronteiras. Seu reinado é frequentemente considerado como a época de ouro do Laos. Quando ele morreu, deixando Lan Xang sem um herdeiro, o reino dividiu-se em três principados. Entre 1763 e 1769, os exércitos birmaneses invadiram o norte do Laos e anexaram Luang Prabang.

Anouvong ascendeu ao trono de Vientiane apoiado pelos Siameses. Ele encorajou um renascimento das artes plásticas e da literatura laociana e melhorou as relações com Luang Phrabang. Embora ele tenha sido pressionado a prestar homenagem aos vietnamitas, ele se rebelou contra o siameses. A revolta fracassou e Vientiane foi saqueada.[12] Anouvong foi levado para Bangkok como um prisioneiro, onde morreu mais tarde.

Primórdios

A região que hoje é o Laos foi dominada pelo rei Nanzhao até o século XIV, sucedido pelo rei Lan Xang. A dinastia de Lan Xang foi ao declínio no século XVIII quando a Tailândia assumiu o controle da área setentrional do reino. No século XIX, a França que já dominava o Vietnã, assume também o protectorado do Laos, constituído pelos reinos de Luang Phrabang, Vientiane e Champasak formando assim a Indochina em 1893. Durante a Segunda Guerra Mundial, o Japão invadiu o Laos. Com o fim da guerra, em 1945, o Laos proclama o fim do protectorado, sob a liderança do rei Sisavang Vong. No entanto, a França apenas em 1949 aceita alteração ao estatuto do país: primeiro torna-se estado associado da República Francesa e em 1954 reino independente, com uma monarquia constitucional governada por Sisavang Vong.

A instabilidade política na região causada pela Guerra Fria causa uma guerra civil e diversos golpes de estado. Em 2 de dezembro de 1975 é proclamada a República e instalado o governo comunista Pathet Lao apoiado pelo Vietnã e pela União Soviética destronando o governo de Sisavang Vong.

Em 24 de julho de 2018 a represa de Xepian-Xe Nam Noy localizada no sul do país se rompeu, despejando aproximadamente 5 bilhões de metros cúbicos de água, desabrigando aproximadamente 6,6 mil pessoas e matando ao menos 19 pessoas.[13]

Geografia

Ver artigo principal: Geografia do Laos

O Laos é uma nação sem saída para o mar, localizada no sudeste asiático. Basicamente é formado ao oeste pela planície florestal do mais importante rio do país, o Mekong, e os planaltos escarpados da região central, onde localiza-se o ponto mais elevado no monte Phou Bia (2.817 metros), e em toda fronteira leste com o Vietname.

Cobre 236 800 km², fazendo fronteira com Mianmar, Camboja, República Popular da China, Tailândia e Vietname.

A migração e conflitos internacionais contribuíram à composição étnica atual do país e à distribuição geográfica de seus grupos étnicos.

Clima tropical. A estação chuvosa começa em abril e termina em outubro. As chuvas são mais importantes no sul de Laos do que no norte. No Laos, o clima é muito cálido durante os meses de abril, maio e outubro. A estação seca é agradável com temperaturas relativamente suaves. Na altitude, as temperaturas são mais frescas entre dezembro e janeiro.

Subdivisões

Ver artigo principal: Subdivisões do Laos
Províncias do Laos

O Laos está dividido em 18 províncias (em Lao ແຂວງ, khoueng), 1 região ou zona especial (*) (ເຂດພິເສດ, khetphiset) e um municipalidade ou prefeitura (**) (ນະຄອນຫລວງ, kampheng nakhon)

As províncias são subdivididas em distritos (muang ou muong) e aldeias (baan).

Demografia

Ver artigo principal: Demografia do Laos
Escola primária numa vila ao nordeste da área rural do Laos.
  • População: 6,858 milhões (2017)
  • Densidade demográfica: 28 hab./km²
  • Idade média da população: 19,2
  • Crescimento demográfico: 2,34%
  • Expectativa média de vida: 56,29
  • Idioma(s) Oficial (ais): laociano/francês/inglês
  • Etnia(s): Lao Loum, 68% — Lao Theung, 22% — Lao Soung, 9%
  • Religião(ões): Budismo, 65% — Animista, 32,9% — Catolicismo e outros, 2,1%


Etnias

A composição étnica do Laos é controversa. No início do século XX, o poder colonial francês dividia a população, inicialmente, com base em características fenotípicas, onde os laosianos, Khmus e Tais apresentavam-se como os maiores grupos.[14] Após a independência, o país adotou essa classificação nos primeiros anos. Essa política de classificação colocava os Tais e os Laosianos como grupos étnicos de maior acessibilidade, o que levou, provavelmente, a subestimação e não abrangência de outras etnias, entre elas os Khmus, que viviam em sua maior parte em áreas pouco acessíveis, pobres e bastante povoadas (geralmente nas montanhas).[15] Na década de 1950, o governo mudou parcialmente o método de identificação das etnias presentes no país, identificando três grupos principais: O Lao Loum, o Lao Theung e o Lao Soung. Essa classificação criada continuou a ser usada quando os comunistas assumiram o poder, em 1975.[16]

O censo de 1985 distinguiu 68 grupos étnicos[17] com 820 grupos sub-étnicos.[18] Em 1995, após longas consultas, reafirmou-se 47 grupos étnicos presentes no país,[16] sendo que em 2000, de acordo com a releitura, firmou-se a ideia de 49 a 55 grupos étnicos existentes.[19]

Economia

Cena Urbana de Vientiane, capital do país.
Principais produtos de exportação do Laos em 2019 (em inglês).
Ver artigo principal: Economia do Laos

O governo do Laos, um dos poucos remanescentes países socialistas de partido único, começou a descentralizar o controle da economia e a encorajar a iniciativa privada em 1986.[20][21]

Em agosto de 1991, a Assembleia Suprema do Povo (SPA) aprovou uma nova constituição — a primeira, desde que a constituição anterior fora abolida em 1975. Entre suas disposições é a afirmação do direito à propriedade privada, e a expressão "democracia e prosperidade" substituiu "socialismo" no lema nacional,[22] e em maio de 2003 uma nova constituição foi aprovada salientado que a economia opera de acordo com o princípio da economia de mercado.[23]

No país a taxa de imposto de renda máxima é de 25 por cento, e a taxa de imposto sobre as sociedades é de 35 por cento. Outros impostos incluem um imposto sobre os veículos e os impostos especiais de consumo. A carga fiscal global para o ano de 2012 é igual a 13,3 por cento do PIB.[24]

O Laos ainda depende enormemente de sua agricultura. As maiores exportações de produtos agropecuários processados do país em termos de valor, em 2019, foram: bebidas não-alcoólicas (U$ 229 milhões), borracha natural (U$ 217 milhões), açúcar (U$ 123 milhões), mandioca (U$ 90 milhões), cigarro (U$ 65 milhões), café (U$ 63 milhões), milho (U$ 31 milhões), entre outros.[25] Na mineração, o país era um dos 15 maiores produtores mundiais de estanho[26] e antimônio[27] em 2019, além de produzir algum ouro[28] e prata.[29]

O Laos possui uma infraestrutura bastante deficiente. O país não possui ferrovias. As principais rodovias do país conectam os maiores centros urbanos, porém a maioria das pequenas vilas somente se ligam a estas rodovias por pequenas estradas de terra, nem sempre transitáveis o ano inteiro. As telecomunicações internas e com o exterior também são limitadas e, nota-se que sua economia é majoritariamente agrária e que a plantação do arroz é a principal atividade comercial do Laos Socialista.

No ano fiscal 2013–2014, que encerra em 30 de setembro, o Laos planeja gastar 17 830 bilhões kip, forçando o governo a recorrer a empréstimos junto a investidores internacionais (225 milhões de US dólares) e vender títulos para compradores locais e estrangeiros para enfrentar seu déficit orçamentário.[30][31] Mais de 26% do seu orçamento é coberto por doações internacionais.[30]

Infraestrutura

Transporte

Desde março de 2009, o Laos tem uma ligação ferroviária com a Tailândia. Uma estrada de ferro de 3,5 quilômetros de trilhas liga a rede ferroviária tailandesa de Nong Khai sobre a Ponte da Amizade Tai-Lao com a recém-construída Estação Ferroviária Thanaleng, na fronteira do lado laociano.[32]

Cultura

Ver artigo principal: Cultura do Laos

O Budismo contribuiu significativamente para a cultura do Laos. Ele se reflete por todo país não apenas na religiosidade, mas também nas artes, literatura, teatro, etc. A música laociana é dominada pelo khaen, flauta de bambu que é instrumento nacional.

O país tem dois Patrimônios Culturais da Humanidade, de acordo com a UNESCO: Luang Prabang e Wat Phou. O governo pleiteia o mesmo título para a região da Planície de Jarros.

Culinária

Uma refeição do Laos em Luang Prabang

A culinária do Laos tem muitas variações regionais, correspondendo em parte aos alimentos locais de cada região. Um legado francês ainda é evidente na capital, Vientiane, onde baquetes são vendidos nas ruas e em restaurantes franceses, que são comuns e populares, os quais foram introduzidos pela primeira vez quando o Laos fazia parte da Indochina francesa. O padaek, canela e noz-moscada são ingredientes importantes na culinária do Laos. O mais famoso de seus pratos são o laab e som tam. A culinária é marcada por apresentar pratos picantes, com carnes e especiarias, além de pimentão, alho, tomate, frutas cítricas e outros.[33]

A culinária do Laos é influenciada por outros grupos étnicos do Sudeste asiático, especialmente pela culinária tailandesa, uma vez que vários de seus ingredientes são compartilhados pelos tailandeses, como a banha de porco — consumida por pessoas do Laos que vivem no nordeste da Tailândia e também se espalhando pelo centro do país. Ao mesmo tempo, sua comida também foi influenciada por outras nações vizinhas, como o Vietnã e a China. Veio da China o costume de utilizar o macarrão de curry nos pratos típicos do país, o qual também sofreu influência vietnamita. A comida ocidental também deteve importância na gastronomia laosiana, a partir do contato com povos do Ocidente. Pimentões são uma das coisas que os portugueses trouxeram no passado. Como herança francesa, há pães, vinhos e queijos, que refletem parte da cozinha ocidental no país.[33][34][35]

A bebida mais popular no Laos depende da idade do consumidor. Costumeiramente, crianças e adolescentes bebem leite de soja. A marca de chá mais popular do país é a beerlao, uma cerveja feita no Laos.[36]

Esportes

O futebol recentemente se tornou o esporte mais popular no Laos.[37] A Liga do Laos é agora a principal liga profissional para clubes de futebol de federação do país.[38] Desde o início da Liga, o Lao Army FC tem sido o clube mais bem-sucedido com 8 títulos (após a temporada 2007–2008), o maior número de vitórias em campeonatos.[39]

Ao contrário de seus vizinhos, o Laos não tem tradição em outros esportes coletivos. Em 2017, o país enviou uma equipe pela primeira vez aos eventos da equipe nos Jogos do Sudeste Asiático. A equipe nacional de basquete competiu nos Jogos do Sudeste Asiático de 2017, onde venceu Mianmar no jogo do oitavo lugar.

A arte marcial do Muay Lao, é o esporte nacional,[40] é uma forma de kickboxing semelhante ao Muay Thai da Tailândia, Lethwei da Birmânia e Pradal Serey do Camboja.[41]

Feriados

Feriados
DataNome em portuguêsNome localObservações
1 de JaneiroAno novo internacionalPi Mai falang
8 de MarçoDia da MulherVan Mae
14 a 16 de AbrilAno novo Lao (seg. calendário budista)Pi Mai
1 de MaioDia do TrabalhoVan Heng Ngan
Dia da Lua cheia em novembroFeriado do That LuangBoun That Luang
2 de DezembroDia nacionalVan Pathet Lao

Ver também

Referências

🔥 Top keywords: